Voltar para home
"Um projeto onde médicos, fonoaudiólogos, professores, pessoas com dificuldade auditiva e familiares possam trocar informações sobre saúde auditiva."
EMAIL: contato@amigosdaaudicao.com.br
Fonoaudióloga Responde
fale com a fono
Coluna - Lak Lobato

A importância da Equipe Multidisciplinar para Implante Coclear

24/07/2015

Não são todos os médicos que fazem a cirurgia de Implante Coclear que contam com uma equipe multidisciplinar, mas equipes de grandes hospitais como Bauru, Hospital das Clínicas, Unicamp costumam ter. E como escrevo baseada nas minhas experiências de implantada, resolvi falar da importância de cada profissional que compõe a equipe.

A primeira consulta que costumamos ter é com o médico que irá nos operar. Quando a cirurgia é feita pelo SUS, pode ser que o médico mude durante o processo, mas é comum o médico com quem você conversou desde o início do processo seja responsável pelo seu caso.

No meu caso, lá no começo de 2007, lembro que a minha primeira consulta contava com uma equipe de quatro médicos, todos me entrevistando e fazendo várias perguntas sobre meu histórico: como perdi a audição, com quantos anos, se utilizei prótese auditiva convencional e porquê, etc. Eles falaram algumas coisas, mas não fizeram nenhum tipo de promessa. Talvez porque eu tivesse mais de 20 anos de privação auditiva...

Além do médico, passamos por consultas com fonoaudiólogos especializados em Implante Coclear. Enquanto os médicos verificam a parte física da nossa condição (se a cóclea está em boas condições para receber o implante, por exemplo), o profissional de fonoaudiologia cuida da parte sensorial. Ele verifica quais os ganhos que temos (ou não) com o aparelho comum. Quais as nossas condições de compreensão da linguagem, mesmo sem ouvir. E geralmente são eles que nos mostram os aparelhos e, diante dos resultados dos exames audiológicos que fazem, quais as nossas prováveis possibilidades ao colocar o implante coclear.

Equipes mais completas também contam com assistente social, que avalia e opina pela cirurgia do IC. O trabalho do assistente não é apenas fazer uma avaliação financeira, mas sim das condições sociais e estruturais da família; e complementando a equipe, há também a presença da psicologia, que avalia os aspectos emocionais.

Particularmente, eu acho que a participação do psicólogo é essencial nessa etapa do processo. Pode parecer meio exagerado da minha parte falar disso, mas depois de quase 6 anos conversando com usuários e futuros usuários de IC, eu realmente acho que todos deveriam passar por uma fase de terapia psicológica antes da cirurgia; crianças, os pais de crianças implantadas e usuários adultos.

Por quê?

Porque quase sempre, uma deficiência vem acompanhada de um trauma. Seja porque perdeu-se a audição súbita ou gradualmente. Seja porque o filho ouvia e perdeu a audição, seja porque ele nasceu surdo.  Havendo uma situação traumática na história, ela dá origem ao desespero, à necessidade de uma solução imediata, expectativas irreais e possíveis frustrações. Nessa hora, é que a participação de um psicólogo pode ser a peça chave para ajustar as emoções e colocar os pés no chão.

O implante coclear não é um milagre, se formos considerar milagre como solução imediata. Para que ele funcione, na maioria esmagadora dos casos, é preciso tempo e aprendizado. É preciso paciência para aguardar até a data da cirurgia. E depois, os trinta ou mais dias até a ativação do aparelho. É preciso paciência para acostumar-se a ouvir através de impulsos elétricos, o que pode ser bem estranho (ou até demorar para ser percebido) no começo. É preciso disponibilidade para treinar a percepção auditiva e, só depois disso, trabalhar a discriminação da fala.

E, no meio disso tudo, conseguir lidar bem com a ansiedade, as expectativas própria e alheia. E é preciso, inclusive, encarar que nem sempre o seu caso necessariamente atingirá o auge auditivo esperado pelos médicos e pela sociedade: falar perfeitamente ao telefone, ouvir música e assistir televisão ou uma palestra sem legenda. E, independente disso, conseguir ser feliz e apreciar o fato de utilizar o implante coclear.

Por isso, realmente acredito que o papel do psicólogo pré e pós cirurgia é tão importante. Há pessoas que precisam desse tipo de apoio. E se houver, tudo pode ser muito mais tranquilo e fácil do que costuma ser. Ansiedade bem trabalhada pode dar margem a enormes possibilidades!

E, se esse tipo de ajuda existe, por que não buscá-la, quando buscamos as poesias sonoras através do implante coclear?


Beijinhos sonoros,
Lak


0 COMENTÁRIO

MANDE O SEU COMENTÁRIO




*Todos os campos são obrigatórios