Voltar para home
"Um projeto onde médicos, fonoaudiólogos, professores, pessoas com dificuldade auditiva e familiares possam trocar informações sobre saúde auditiva."
EMAIL: contato@amigosdaaudicao.com.br
Fonoaudióloga Responde
fale com a fono
Coluna - Diéfani Piovezan

O Custo do Implante Coclear

03/03/2016

Tenho lido muito nos fóruns e grupos sobre pessoas que perderam o implante, foram assaltadas, danificaram de alguma forma e não estão conseguindo comprar peças, similares e um processador novo. Me dá uma agonia tremenda isso.

Todos que lêem minha coluna sabem que para mim o IC (implante coclear) é indispensável e que ouvir é tudo. Até mesmo o som mais irritante do mundo, acaba se tornando música, só depois de implantada e ter redescoberto tantos sons que eu posso entender a frase “Todo som é música” usada pelo pessoal do Fórum do Implante Coclear.

O implante (Med-EL no meu caso) tem garantia de 3 anos para processador, antena, compartimento de bateria, fios e bateria DACAPO, tem garantia de 3 meses. Acontece, que para quem tem cabelo comprido, ele fica enroscando no cabo o tempo todo e quebrando com facilidade. Por mais que se tome cuidado, acaba mexendo mais do que deveria no fio, conclusão? Ele quebra e por sorte vem com um reserva, mas também é preciso de outro para deixar reservado.

O valor de um cabo do Opus 2 da Med-EL gira em torno de R$ 400. Associados da ADAP costumam ter desconto se comprado diretamente com eles.

Assim como todo dispositivo eletrônico, ele não é eterno, ele não é inquebrável e muito menos indestrutível. Uma hora ou outra todo usuário vai precisar repor uma peça ou até mesmo o processador inteiro.

Fui então entrar em contato com a Phonak e perguntar sobre garantia estendida e seguro, por hora a única informação recebida é que a ADAP tem planos de garantia estendida. O problema mesmo é seguro em caso de perda e roubo, que eu saiba, não existe nem pelas próprias empresas e nem por seguradoras. E se perder ou roubar, complicou, porque o processador custa o mesmo que um carro popular.

Eu procurei algumas seguradoras e a resposta que obtive é que além de não haver esse tipo de seguro (nem mesmo para cadeiras de rodas elétricas), a demanda seria baixa e não compensaria nem para o usuário e nem para a seguradora.

Fico aqui pensando, quebra um cabo, a vida útil das baterias recarregáveis termina, o compartimento de pilha quebra, o implante é furtado ou perdido, como as pessoas vão bancar isso se não em tiver condições de pagar tudo isso ou um seguro, uma garantia estendida?

As peças como cabos, baterias, antenas, carregador de baterias e ângulos, possuem valores mais acessíveis, mas e se acontecer algo com o processador todo? Como desembolsar o valor total de um novo?

As fabricantes, os centros de implante, associações e outros, tentam fazer o possível para que o usuário não fique sem o processador, mas sabe quando a situação fica cansativa para todos os envolvidos de tanto “corre pra cá, corre pra lá”?

No final do ano de 2016, entrará em vigor uma portaria que visa facilitar essas trocas de partes e peças, mas precisamos fazer uma pressão no Ministério da Saúde porque estão demorando para efetuarem o recadastramento dos centros e sem isso a portaria não entra em vigor.  

Aqui no Brasil vejo inúmeros casos de pessoas que passam pelas situações que citei anteriormente e ficam desesperadas esperando o parecer judicial, doações de pessoas bondosas ou simplesmente acabam desistindo. Sintam-se livres para discordar, mas é triste que uma tecnologia tão maravilhosa, não seja protegida.

Muitos fatores fogem do controle do usuário, será que não seria hora de debatermos sobre isso, unir uma quantidade significante de usuários e tentar conseguir que ao menos uma seguradora insira planos para a proteção de IC, Próteses Auditivas Ancoradas ao Osso e outros em seus planos? Acredito que no fim, ao contrário do que pensam os representantes das seguradoras, só teríamos a ganhar com isso.

Enquanto o problema não é resolvido, cuidem de seus processadores de fala como se fossem um tesouro (para mim, mesmo se ele custasse R$ 00,01, continua sendo um tesouro extremamente valioso), pois mesmo se tivéssemos tudo pelo SUS , em caso de perda ou roubo, custaria dinheiro. Esse dinheiro sai dos impostos que pagamos, ou seja, não é de graça.

E mesmo com esses obstáculos, ouvir não tem preço. Não há dinheiro no universo que consiga pagar a sensação de se sentir completo.

 

Beijos a todos! 


2 COMENTÁRIOS

Luiz Antonio Alves Teles

Muito esclarecedor sobre este tema, pois tive o aparelho roubado e contratei advogado e fiz B.O. desde setembro/015 e o Juiz dá o parecer desfavorável, e o meu advogado falou que vai demorar mesmo, então a paciência já está esgotada e resolvi colocar a minha casa a venda e comprar um outro aparelho de I.C. e o meu é Opus2, que chegará na semana que vem, se Deus quiser estarei ouvindo novamente.Abraços Fraternos!

DIÉFANI PIOVEZAN:
Luiz, é preciso uma boa demanda para que seguradoras comecem a segurar esse tipo de coisa. E que bom que de um jeito ou de outro você não ficará sem ouvir.


Luiz Antonio Alves Teles

Tenho muita dor no coração ao ver uma mãe implorando para consertar o aparelho da filha que quebrou e ela não possui o dinheiro o suficiente para pagar. Recentemente no site do I.C.eu colaborei depositando um valor para que a mulher consiga o valor total para pagar o conserto, creio que ela vai conseguir mais o pedido foi feito só no site do I.C. mais aí sãos poucos os implantados mas mesmo assim ela vai até ultrapassar o valor para pagar o conserto do I.C. Mais tem mães que não tem nem o dinheiro para pagar as pilhas, porquê é cara, aliás tudo é caro no I.C.E é muito doloroso ver isto no site, o ideal seria que todo mundo tivesse acesso gratuito ou um pouco mais baixo o valor das peças ou então se tivesse um seguro como você explicou bem e acredito que futuramente e se Deus quiser vai aparecer uma seguradora que vai permitir nos fazermos o seguro. Abraços Fraternos!


MANDE O SEU COMENTÁRIO




*Todos os campos são obrigatórios