Voltar para home
"Um projeto onde médicos, fonoaudiólogos, professores, pessoas com dificuldade auditiva e familiares possam trocar informações sobre saúde auditiva."
EMAIL: contato@amigosdaaudicao.com.br
Fonoaudióloga Responde
fale com a fono
Coluna - Diéfani Piovezan

A importância do teste da orelhinha no diagnóstico precoce da perda auditiva

17/02/2016

 

Hoje venho trazer para vocês, uma entrevista com a Tauany Bonardi Amado, ela é mãe da Ana Lívia Tomazini de 6 anos. A deficiência auditiva da Aninha (como todos a chamam), foi descoberta aos 5 anos quando a família começou a notar certas necessidades para se comunicar direito com ela.

De acordo com Tauany, tudo indica que a causa da deficiência auditiva, foram antibióticos que a filha tomou na UTI ao nascer mas como não foi feito o teste da orelhinha enquanto ela ainda estava na maternidade, é difícil saber com certeza.

Tauany até mesmo fez uma tatuagem do aparelho auditivo atrás de sua orelha para homenagear a filha. Quando perguntei se Ana Lívia tinha gostado, Tauany respondeu “Na hora ela chorou muito, disse que não era para eu fazer porque não ia sair nunca mais mas depois ela acostumou”. Confiram a entrevista e o recado que a Tauany deixa para todas as mamães que passam ou poderão passar pela mesma situação.

           

-Quantos anos a sua filha tem atualmente? Ela frequenta a escola?

Ana Lívia tem 6 anos e 9 meses e atualmente frequenta a escola normalmente.






-Foi feito o teste da orelhinha quando ela nasceu?

Não foi feito o teste da orelhinha. 

-Quantos anos ela tinha quando foi descoberta a perda auditiva dela e como foi descoberta?






Ela tinha 5 anos quando descobrimos. Percebemos que o som da TV era sempre muito alto e que quando falávamos com ela tínhamos que falar mais alto e olhando para ela. Foi quando decidi leva-la no otorrino.

-Como foi para você, descobrir depois de tanto tempo, que sua filha tinha deficiência auditiva?





Para mim e para toda nossa família foi desesperador.  Senti muita culpa por não ter descoberto antes.

-Qual foi a causa da deficiência auditiva?

Tudo indica que a deficiência auditiva dela foi causada por dois antibióticos que ela tomou na UTI quando nasceu.

-Ela usa aparelhos auditivos ou algum tipo de implante? Qual modelo/marca? Como foi/está sendo a adaptação dela?

Sim, ela usa aparelhos auditivos, o modelo não tenho certeza qual é, mas é da Phonak, a adaptação dela foi ótima graças a Deus. Houve uma melhora muito grande no convívio com as pessoas.

-Você acha que em algum momento a perda auditiva esta fazendo muita diferença na vida escolar, familiar ou social da Ana Lívia?

A perda auditiva não fez diferença na vida dela não. Ela só era mais quietinha e hoje como ouve melhor, se comunica mais com as pessoas.

-Houve algum momento que você pensou que se tivessem feito o teste da orelhinha quando ela nasceu e diagnosticado a surdez desde o início, alguma coisa teria sido diferente para ela?

Pode ser que sim. Se diagnosticado quando ela ainda era uma bebê seria tudo muito mais fácil.

-Ela atualmente faz acompanhamento fonoaudiológico? Se sim, notou diferenças?

Ela não faz acompanhamento fonoaudiológico mas como eu disse, o aparelho por si só promoveu uma grande melhora no convívio dela com as pessoas.

-Tem algum recado que gostaria de deixar para mamães que passaram pela mesma situação e para as que em breve darão à luz e podem passar pelo mesmo?

Quero dizer para as mamães ficarem mais atentas nas atitudes dos filhos, no jeito deles agirem, e exigir o teste da orelhinha antes de sair do hospital. Também queria dizer para ficarem tranquilas se for diagnosticada a surdez, não é um bicho de sete cabeças [risos] e nossos pequenos se adaptam a situação melhor do que a gente. 


0 COMENTÁRIO

MANDE O SEU COMENTÁRIO




*Todos os campos são obrigatórios